Facebook Twitter Google+ RSS Blog Gastrovia
BUSCA
Onde?
GUIA
Localidade
 
NOTÍCIAS - ENTREVISTAS
Marina Queiroz
19/11/2012


Especialista em confeitaria, é dotada de uma habilidade impressionante  para desenvolver trabalhos manuais de forma minuciosa e precisa, hoje dedica seu talento em Artes Plásticas, para fazer das guloseimas da confeitaria, verdadeiras obras primas. Seus doces são exclusivos e personalizados de acordo com o pedido.

Em entrevista ao portal, a chef Marina Queiroz fala de suas preferências gastronômicas e  sobre o seu trabalho.

Conta que desde muito pequena adorava trabalhos manuais, demonstrando habilidade para tarefas minuciosas e precisas. Tem como primeira referência na gastronomia, sua avó paterna, que era uma culinarista de mão cheia, seus  bolos e refeições eram memoráveis e ficaram marcados na minha infância, comenta a Chef. Após a formação em Artes Plásticas, resolveu associar seus talentos manuais a uma segunda paixão, a cozinha.

Estudou gastronomia em 1998 no Senac e leciona gastronomia e confeitaria em Universidades de São Paulo.

Seu portfólio enche os olhos e está completo no site marinaqueiroz.webs.com.

  

  


Gastrovia - Como você vê o mercado gastronômico no Brasil?
Marina Queiroz - Em expansão! Nossa cultura gastronômica é mais recente do que países do velho mundo, por exemplo. Mas há cerca de 15 - 20 anos começamos a valorizar a gastronomia no Brasil, tanto no aspecto de mão de obra, quanto à tipologia de restaurantes e a comida em si.

Gastrovia - O que despertou sua paixão pela Gastronomia, principalmente na área de confeitaria?
Marina Queiroz - A gastronomia sempre fez parte da minha vida, por parte de pai, a minha avó era culinarista e banqueteira no interior paulista. Eu passava minhas férias na casa dela e adorava ver ela preparando docinhos e bolos para festas diversas. Por parte de mãe, a minha bisavó já havia publicado um livro de culinária em 1910. Ou seja, meus pais adoravam cozinhar para amigos e familiares e as reuniões em casa sempre estavam em torno de uma mesa com muita comida. Acho que foi isso, cresci vivendo a gastronomia com a junção da minha habilidade manual. Sempre fui voltada às artes, desde a infância, depois me formei em artes plásticas. Acho que essa facilidade de fazer coisas delicadas me fez seguir esse caminho.

Gastrovia - Hoje você se dedica a área acadêmica e à sua empresa, onde encontra maior prazer, ensinado  ou confeitando?
Marina Queiroz - Difícil escolha...acho que lecionar é uma questão de missão de vida, mas acima de ensinar acho que aprendo muito com os meus alunos. Já confeitar, é um momento lúdico e de prazer, eu esqueço do mundo e me entrego inteira ao trabalho.

Gastrovia - Na experiência de ensinar outras pessoas, o que pode ser aprendido?
Marina Queiroz - Tudo, desde saber que não somos donos da verdade e que mesmo ensinando estamos aprendendo o tempo todo. O conhecimento deve ser compartilhado sempre, pois só assim ele se torna real e possível.

Gastrovia - Seus bolos são verdadeiras obras de arte, até por serem exclusivos. Quanto  tempo em média demora para preparar um bolo?
Marina Queiroz - Os bolos de pasta americana possuem algumas particularidades, principalmente pelo seu tempo demorado de preparo. Hoje tenho uma agilidade muito maior em seu preparo do que quando comecei a fazê-los. Eu divido o preparo em etapas, mas a parte da confeitagem pode demorar de 8 a 20 horas, dependendo do nível de dificuldade do bolo.

Gastrovia - Você tem alguma referência no mercado gastronômico. Quem?
Marina Queiroz - Sempre temos pessoas que nos inspiram, eu estudei por muito tempo a cozinha contemporânea, acho Ferrán Adriá um verdadeiro gênio, que foi capaz de mudar nossos conceitos e a gastronomia mundial, mas além dele, a pessoa que mais me ensinou na vida foi o chef Antonio Marques (embaixador da Callebout em Portugal), pois além de ter um conhecimento absurdo de confeitaria ele ama ensinar, me identifiquei muito com ele.

Gastrovia - Em sua carreira, você teve alguma situação inusitada?
Marina Queiroz - Em 2006 eu fui assistir o Congresso Internacional de Gastronomia - Madrid Fusion. No intervalo do primeiro dia, quando fui dar uma volta encontrei com alguns amigos que eu havia feito no meu estágio na Espanha no ano anterior. Os meninos estavam trabalhando nos bastidores do Congresso e me perguntaram se eu queria conhecer os grandes chefs da gastronomia mundial. Eles me deram o crachá de acesso aos bastidores e tive a oportunidade de conhecer os maiores chefs do mundo: Ferrán Adriá, José Andrés, Irmãos Roca, entre outros. Foi um dia que eu não esperava e tive a oportunidade de conhecer meus ídolos. Foi um sonho para mim!

Lá em casa
Marina em poucas palavras: sou uma pessoa muito batalhadora, sempre luto pelos meus sonhos e ideais. Ao mesmo tempo, me sinto muito bem em cuidar e paparicar aqueles que eu amo!
Prato preferido: difícil escolher um prato, pois amo comer comida bem feita, mas vou escolher o caril de camarão de Goa.
Cozinhar é: amor, entrega e reconhecimento
O que não pode faltar na sua cozinha: minha batedeira Kitchen Aid
Uma experiência para lembrar: quando eu comecei a fazer bolos de pasta americana, meu filho estava com cerca de três anos, e eu estava na cozinha finalizando um bolo e o Tom a cada 30 minutos entrava na cozinha e dizia: "nossa mamãe, que lindo"! Ele sempre foi o maior incentivador do meu trabalho!
Uma receita inesquecível: o bolo de chocolate da minha avó
Livro “de cozinha”: Panificação e Viennoiserie - Abordagem Profissional
Dica Gourmet: muitos me pedem dicas sobre equipamentos, portanto para começar a se profissionalizar é preciso investir em equipamentos e utensílios bons. No caso de fornos eu indico os elétricos, pois a temperatura é constante e não há variação de calor como nos fogões à gás.

Receita 

Gingerbread cookies

Ingredientes:

  • 2 e ¼ de xícara (chá) de farinha de trigo
  • ½ colher (chá) de fermento em pó
  • 2 colheres (chá) de gengibre em pó
  • 2 colheres (chá) de canela em pó
  • ½ colher (chá) de cravo em pó
  • ½ colher (chá) de noz moscada ralada
  • 8 colheres (sopa) de manteiga sem sal
  • ½ xícara (chá) de açúcar mascavo
  • 1 ovo
  • ¾ xícara (chá) de melaço

Modo de preparo:
1. Num recipiente colocar a farinha de trigo, o fermento em pó, o sal e as especiarias.
2. Na batedeira, colocar a manteiga e o açúcar mascavo e bater até obter um creme fofo e claro (bater cerca de 10 minutos com a raquete).
3. Adicionar o ovo, o melaço, a mistura de farinha e misturar rapidamente.
4. Colocar a massa num saco plástico e levar para gelar por pelo menos 1 hora.
5. Retirar a massa da geladeira e acrescentar farinha até dar ponto de abrir com rolo.
6. Polvilhar farinha na mesa e abrir a massa com um rolo. Cortar os biscoitos com um cortador e transferir os biscoitos para uma assadeira antiaderente.
7. Levar a assadeira com os biscoitos ao freezer por 15 minutos. Pré-aquecer o forno por 10 minutos a 170ºC.
8. Assar os biscoitos por cerca de 18 minutos ou até que fiquem parcialmente dourados.
9. Colocar sobre uma grelha para secar e após resfriar, confeitar com glacê royal (comprado em lojas especializadas em produtos de confeitaria).

Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia!
Faça seu comentário:
Nome:
E-mail:
Código de segurança
Digite aqui o código de segurança mostrado na imagem abaixo.
CAPTCHA Image
Notícias relacionadas
 
 
 
Sobre o Gastrovia
Anuncie
  Sugestões
Parcerias
  Cadastre seu estabelecimento
Trabalhe conosco
  Não encontrou?
Contato
Home
Notícias
  Ebooks
Cozinha de A à Z
  Vídeos
Dicas
  Receitas
Cadastre-se
 
© 2021 Gastrovia Turismo e Gastronomia